Conecte-se conosco

Paraná

Vendavais e granizo afetam mais de sete mil pessoas no Paraná

Alô Paraná

Publicado:

em

Mais de sete mil pessoas, de oito municípios paranaenses, foram afetadas pelo temporal no Paraná na madrugada desta quinta-feira (30). Em Guarapuava, na região central, foi registrada a morte de uma criança, de oito meses, devido ao desmoronamento de um muro.

Segundo boletim emitido pela Coordenação Estadual de Proteção e Defesa Civil, vendaval, chuva forte e granizo atingiram Curitiba e os municípios de Rio Branco do Sul, Colombo, Pinhais, Piraquara, Quatro Barras, São José dos Pinhais, todos na região metropolitana da capital, além de Guarapuava e de União da Vitória.

“Os municípios continuam enviando informações e é possível que os números aumentem no decorrer do dia”, disse o tenente Marcos Vidal, da assessoria de comunicação da Defesa Civil. Na Grande Curitiba, o município mais atingido foi Rio Branco do Sul, onde a forte queda de granizo danificou 500 residências, afetando 2 mil pessoas. Em Pinhais, 400 residências sofreram danos, afetando 1.600 pessoas.

Segundo o tenente Vidal, neste primeiro momento a Defesa Civil providencia lonas para cobertura das residências atingidas. “Este é o primeiro procedimento em situações como essa. Em seguida, será avaliada a necessidade de ações de suporte”, explicou. Em Curitiba, foram mobilizados 100 profissionais da Defesa Civil, Guarda Municipal, Secretaria do Meio Ambiente, das Administrações Regionais, da FAS, Educação e Saúde para atender as ocorrências.

ALERTAS – O Simepar e a Defesa Civil enviaram alertas sobre as ocorrências por volta das 2 horas e, novamente, às 6 horas. A meteorologista Ana Beatriz Porto da Silva explicou que a formação foi rápida e de intensidade inesperada. “Foram pequenos núcleos de temporais dentro de uma grande área de instabilidade que atinge desde o Rio Grande do Sul até o Centro-Sul do Paraná”, disse ela.

Em informe publicado no site do Simepar, a meteorologista menciona alguns dados obtidos da rede de monitoramento: Curitiba registrou 11 milímetros de chuva em 15 minutos e rajada de 79 km/h; Guarapuava 30 mm em 15 minutos; Ponta Grossa 28 mm em 45 minutos e rajada de 64 km/h.

A previsão é que a chuva continue nesta quinta-feira e nos próximos dois dias. “Para sexta-feira, a previsão é de temporais na Região Metropolitana de Curitiba e na metade Sul do Paraná”, informa Ana Beatriz.

ENERGIA – As equipes da Copel estão desde o início da manhã nas ruas de Curitiba e região metropolitana para reparar os estragos causados pelos fortes ventos. O Centro de Operações integrado, em Curitiba, também está realizando manobras na rede de energia para isolar o máximo possível os locais com estragos.

Em Curitiba, foram afetadas alternadamente 90.449 unidades consumidoras no total. Às 10:45, estão sem energia apenas 13.226 imóveis. Na região do Centro Cívico um poste foi derrubado em um acidente de trânsito. Profissionais da Copel já estão no local desce cedo.

Já na região metropolitana, São José dos Pinhais está com cerca de 9,5 clientes desligados, Piraquara (cerca de 2,7 mil consumidores desligados) e Quatro Barras (1,2 mil unidades consumidoras desligadas).

Paraná

IAP apreende madeira de corte ilegal de vegetação nativa em União da Vitória

Alô Paraná

Publicados

em


Fiscais do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), regional de União da Vitória, identificaram nessa quinta-feira (13), no município de Paulo Frontin, uma área de corte de vegetação nativa ilegal, equivalente a 1,43 hectares de desmate. A ação foi realizada a partir de denúncias que chegaram ao órgão. O desmatamento ilegal é considerado crime ambiental, previstos na Lei Federal nº 9.605/98 e Decreto Federal nº 6.514/08.

O responsável pela área foi notificado para se apresentar ao IAP nesta segunda-feira (17) e trazer documentação pessoal e do imóvel para ser aplicado o auto de infração. Com a forte presença de produção de fumo na região, a suspeita é que a madeira seria utilizada para a queima em estufas do produto. “Quem utiliza estufa de fumo clandestinamente ainda utiliza lenha de mata nativa”, explica o fiscal da regional do IAP de União da Vitória, Renato Vicente Lachovski.

MULTA – O responsável será punido por desmatamento de vegetação nativa, contendo na lista o corte de espécie ameaçada de extinção, como a árvore Sassafras Albidum. A multa será aplicada no valor de R$ 18 mil. A carga de cerca de 250 metros de lenha foi apreendida e será feito o embargo da continuação da atividade ilegal.

Continue lendo

Ponta Grossa

Vândalos incendeiam ponto de reciclagem na 31 de Março, Ponta Grossa

Alô Paraná

Publicados

em


Um dos Pontos de Entrega Voluntária (PEV) de recicláveis foi vandalizado no último domingo (9), em Ponta Grossa (PR). A estrutura instalada na região da 31 de Março, foi incendiada por vândalos e necessitará de reparos.

De acordo com a Prefeitura, todo o material coletado nos PEVs é destinado às associações de recicladores do município, que hoje são fonte de renda para cerca de 100 famílias. 

O secretário de Meio Ambiente, Paulo Barros, lamentou o ocorrido e relatou que nos últimos anos, a pasta tem trabalhado para ampliar o acesso de toda população ao sistema de coleta seletiva. “Os PEVs nos mercados visam facilitar a vida do cidadão que pode aproveitar o momento de realizar as compras para descartar corretamente os recicláveis separados em casa, fazendo a sua parte pelo meio ambiente. São mais de 150 pontos espalhados em diferentes partes da cidade e ficaremos com um a menos até que seja realizado o restauro nessa estrutura vandalizada”, relatou Barros.

Segundo o secretário, o ato de vandalismo prejudica a população que usa da estrutura e também a geração de renda de quem depende desses materiais. “Quem pratica o vandalismo, pratica um ato contra a sociedade. A ação de colocar fogo em um Ponto de Entrega Voluntária indica que algumas pessoas precisam muito mais de que uma aula de educação ambiental, precisam de aulas”, aponta Barros.

Continue lendo

Paraná

Defesa Civil envia mais caminhões com ajuda humanitária a municípios do Paraná

Alô Paraná

Publicados

em


A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil liberou nesta segunda-feira (3) o terceiro caminhão com materiais de ajuda humanitária aos municípios mais atingidos pelas chuvas dos últimos dias, todos já com decretos de situação de emergência. A prefeitura de Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), recebeu 3 mil telhas, além de 50 conjuntos de dormitório (colchão, travesseiro, cobertor e lençol), 50 de higiene (sabonete, paste de dente) e 50 de limpeza (água sanitária, sabão, detergente).

Após triagem, caberá às prefeituras encaminhar a distribuição. “Sempre para os que estão mais vulneráveis”, alerta o tenente Marcos Vidal, da Defesa Civil. Está prevista também a entrega de outras 3 mil telhas para Pinhais.

A mobilização desta segunda-feira completa a ação do sábado (1º), quando Piraquara e Rio Branco do Sul receberam cada um 3 mil telhas e 100 conjuntos dos três modelos. A Defesa Civil disponibilizou ainda 500 lonas para as 39 cidades do Estado que sofreram prejuízos com o temporal de quinta-feira (30). Ao todo, o órgão contribuiu com R$ 400 mil.

A ajuda, explica o tenente Vidal, priorizou os municípios mais atingidos pela chuva, vendaval e granizo que tiveram de decretar situação de emergência por causa dos danos, seguindo determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Ajudamos os municípios em que fica comprovada que a situação de emergência passa a capacidade local de assistência”, afirma o tenente Vidal.

Piraquara foi a cidade mais atingida pelas chuvas. O município teve 1051 residências afetadas, além de 13 escolas e Centros Municipais de Educação Infantil. Já em Rio Branco do Sul outras 893 residências sofreram algum tipo de dano. “O atendimento mostra o compromisso do nosso Governo com a agilidade e eficiência no atendimento à população”, destaca o coronel Ricardo Silva, coordenador Estadual de Defesa Civil.

NOVO BOLETIM – A Defesa Civil informa, em boletim atualizado às 9 horas desta segunda-feira (3), que chegou a 29.516 o número de pessoas atingidas pelo temporal da semana passada. Foram danificadas 5.110 casas. Dos 676 desalojados, 198 permanecem fora de suas residências. Em Guarapuava, uma criança de oito meses morreu devido ao desmoronamento de um muro. Duas pessoas ficaram feridas.

Continue lendo

EM ALTA