Conecte-se conosco

Cidades

Vandalismo afeta abastecimento de água para 65 mil pessoas no interior do PR

Alô Paraná

Publicado:

em

Uma ação de vandalismo na captação do Rio Despique, em Fazenda Rio Grande, afeta o abastecimento de água para cerca de 65 mil pessoas de bairros da cidade nesta terça-feira (14). A ação ocorreu durante a madrugada. Foram furtados cabos elétricos, equipamentos do quadro de comando e destruída parte da instalação. A Sanepar já está comprando novos materiais para que a unidade volte a funcionar. A previsão é que o sistema retome a produção no início da noite desta quarta.

O fornecimento é afetado nos bairros dos Estados, Eucaliptos, Gralha Azul, Jardim Veneza, Colonial, Nações, Santarém, Palmeiras, Parque Industrial, Jardim Itália, Sol-Levante, Santa Helena, Santa Maria, Santa Terezinha, São Sebastião, Hortência e Iguaçu.

“Além do prejuízo financeiro, que ainda está sendo avaliado, o furto causa impacto direto no abastecimento de metade da cidade. É uma região que não entra na programação do rodízio, mas agora está sofrendo também com falta de água, justamente no período de pandemia”, explica o gerente de Produção de Água da Sanepar, Fábio Basso.

Todos os dias, a equipe técnica de produção e distribuição de água da Sanepar avalia a situação do abastecimento para confirmar ou não a parada programada do rodízio de cada dia.

Rodízio até 16 de abril

Nesta terça-feira (14), está programado rodízio para São José dos Pinhais, nas áreas afetados pela gravidade do Reservatório Arujá: Aristocrata, Centro, Zaniolo, Braga, Cruzeiro, Águas Belas, Ouro fino, Costeira, Pedro Moro, Santo Antônio, Colônia Rio Grande, Itália e Bom Jesus. A normalização está prevista para as 8 horas de quarta-feira (15).

Na quarta-feira (15), os bairros programados para o rodízio em Curitiba, a partir das 8 horas, são os afetados pela área da gravidade do Reservatório Campo do Santana: Campo de Santana, Caximba, CIC, Ganchinho e Tatuquara. Em Araucária, as áreas afetadas pela da gravidade do Reservatório Costeira são Campina da Barra, Costeira, Iguaçu e Tindiquera. A normalização está prevista para as 8 horas de quinta-feira (16).

Na quinta-feira (16), a partir das 8 horas, a programação do rodízio para Curitiba são as regiões afetadas pela área do recalque do Reservatório Ceasa: Campo de Santana, Caximba, CIC, Ganchinho, Tatuquara, Umbará e Sítio Cercado. Ou seja, são regiões diferentes da parada do dia anterior. A normalização está prevista para as 8 horas de sexta-feira (17).

A Sanepar alerta para a importância do uso econômico e racional da água, que deve priorizar higiene pessoal e alimentação. Serviços como lavagem de carros e calçadas devem ser adiados.

Publicidade
Clique e comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ponta Grossa

Pinhão passa a ser comercializado via delivery em Ponta Grossa

Alô Paraná

Publicados

em


Desde que o Feira Fácil digital foi implantado em Ponta Grossa (PR) devido a pandemia de coronavírus, os esforços da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA) e da Associação de Hortifrutigranjeiros estão concentrados em encontrar o maior número de feirantes e de alimentos para serem cadastrados no sistema de compras online. Além de verduras, legumes e frutas, atualmente, o site conta com a disponibilidade de produtos em conserva, carnes, especiarias, condimentos, peixes e sementes. Uma das novidades implantada é a da comercialização do pinhão.

A venda e a colheita do pinhão foram liberadas no Paraná no dia 1º de abril. Desde então, essas práticas estavam proibidas pelo Instituto Água e Terra (IAT), com o objetivo de proteger a reprodução da araucária, árvore ameaçada de extinção e símbolo do Paraná. Com a comercialização autorizada, o Feira Fácil digital passou a comercializar o produto já neste último fim de semana, através do fornecimento do alimento por parte do vendedor autônomo Eliandro Matias. Nesta segunda-feira (6) ocorreram as primeiras entregas do alimento, que contabilizaram 15 quilos de pinhão vendidos.

“Essa oportunidade de poder vender o pinhão de forma on-line foi ótima neste período em que quase não consigo vender nas ruas, com a restrição do horário dos comércios. A feira do produtor também não está acontecendo, então fiquei preocupado em não conseguir ganhar o meu dinheiro. Poder ter uma garantia de que conseguirei vender o pinhão é essencial e a feira on-line permite isso. É uma forma de eu conseguir minha renda ao longo desses dias”, conta Eliandro.

Agora, o objetivo da SMAPA, da Associação de Hortifrutigranjeiros e da startup responsável pelo site é conseguir a participação de mais vendedores e produtores de pinhão. “Fico feliz em saber que, em uma semana, o número de produtos ofertados cresceu. Nosso objetivo é possibilitar que o serviço se desenvolva e seja aperfeiçoado cada vez mais, sendo uma forma tanto da população conseguir ter alimentos saudáveis de forma fácil e segura, quanto de os produtores e feirantes conseguirem vender seus produtos de forma lucrativa. O pinhão é um produto bastante pedido nesse período do outono e do inverno, então, quantos mais produtores aderirem ao projeto, maior será a nossa garantia de conseguir suprir a demanda e de possibilitar que eles também consigam uma fonte de renda”, destaca o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Bruno Costa.

Segundo a prefeitura, 500 gramas de pinhão estão sendo vendidas no Feira Fácil por R$ 6,50. O cliente precisa fazer um pedido mínimo de R$ 30 para que a entrega seja concretizada. Por isso, na compra, o consumidor pode acrescentar outros produtos, como alface, abobrinha, cebola, brócolis e couve-flor, que são alguns dos alimentos mais requisitados até o momento. Após o pedido ser realizado, os alimentos serão entregues depois de 24 horas. O site pode ser acessado em www.bit.ly/feirafacilgenial.

Os produtores que tiverem interesse em comercializar o pinhão e demais alimentos no Feira Fácil podem entrar em contato com os telefones 98421-6789 ou 98413-0969.

Continue lendo

Ponta Grossa

Placas de veículos de Ponta Grossa estão entre as mais caras do PR, segundo Procon

Alô Paraná

Publicados

em


O Procon de Ponta Grossa realizou um levantamento no qual mostra que o custo para a aquisição dos novos modelos de placas de veículo padrão Mercosul no município, figura entre os mais caros do Paraná. Apenas um único fornecedor de Curitiba cobra mais caro.

De acordo com Leonardo Werlang, coordenador do Procon, a pesquisa de preço mostrou que o valor cobrado no município é acima dos praticados em cidades como Guarapuava, Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu. “No comparativo, é possível ver que em cidades próximas, como Guarapuava, o custo pode chegar a quase 50% do cobrado em Ponta Grossa. Por se tratar da Placa de Identificação Veicular (PIV), infelizmente o consumidor não tem a opção de buscar pelo município em que o preço esteja mais atrativo”, avalia o coordenador.

Para placas de carros com o modelo do Mercosul, a média do valor no estado é de R$ 172,89. Em Ponta Grossa, os valores variam entre R$ 190 e R$ 230, podendo ficar até 30% acima.

No caso das motos, os valores variam de R$ 100 a R$ 130, mais de 35% maior que a média no estado de R$ 96,05. Dentre os fornecedores pesquisados, um único fornecedor de Curitiba fica à frente de Ponta Grossa, com a placa do Mercosul para carro sendo vendida a R$ 250.

Nova placa

Após sucessivos adiamentos, começa a valer a partir do dia 31 de janeiro a obrigatoriedade de uso da placa do Mercosul em todos os estados do país. O prazo atende ao estipulado na Resolução nº 780/2019 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), de julho do ano passado, que determina que as unidades federativas do país devem utilizar o novo padrão de placas de Identificação Veicular (PIV).

Desde a decisão pela adoção da placa do Mercosul, a implantação do registro foi adiada seis vezes. A adoção do sistema de placas do Mercosul foi anunciada em 2014 e, inicialmente, deveria ter entrado em vigor em janeiro de 2016. Em razão de disputas judiciais a implantação ficou para 2017 e depois, adiada mais uma vez para que os órgãos estaduais de trânsito pudessem se adaptar ao novo modelo e credenciar as fabricantes das placas.

As novas placas já são utilizadas na Argentina e no Uruguai. A previsão é que em breve comecem a valer também no Paraguai e na Venezuela.

Dos 26 estados brasileiros, já aderiram à nova PIV Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Rondônia.

Obrigatoriedade

A nova placa será obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento e, para quem tiver a placa antiga, no caso de mudança de município ou unidade federativa; roubo, furto, dano ou extravio da placa, e nos casos em que haja necessidade de instalação da segunda placa traseira.

A nova placa apresenta o padrão com quatro letras e três números, o inverso do modelo atualmente adotado no país com três letras e quatro números. Também muda a cor de fundo, que passará a ser totalmente branca. A mudança também vai ocorrer na cor da fonte para diferenciar o tipo de veículo: preta para veículos de passeio, vermelha para veículos comerciais, azul para carros oficiais, verde para veículos em teste, dourado para os automóveis diplomáticos e prateado para os veículos de colecionadores.

Todas as placas deverão ter ainda um código de barras dinâmico do tipo Quick Response Code (QR Code) contendo números de série e acesso às informações do banco de dados do fabricante e estampador da placa. O objetivo é controlar a produção, logística, estampagem e instalação das placas nos respectivos veículos, além da verificação de autenticidade.

Continue lendo

Curitiba

Obra afetará abastecimento de água em 34 bairros de Curitiba

Alô Paraná

Publicados

em


A Sanepar informa que, em virtude de uma obra no reservatório Corte Branco, será necessário interromper o fornecimento de água na próxima terça-feira (14/12), a partir das 6 horas, nos seguintes bairros de Curitiba: Alto Boqueirão, Sítio Cercado, Xaxim, Pinheirinho, Boqueirão, Ganchinho, Água Verde, Capão Raso, CIC, Fanny, Fazendinha, Guaira, Hauer, Lindoia, Novo Mundo, Portão, Santa Quitéria, Seminário, Vila Izabel, Cajuru, Guabirotuba, Jardim das Américas, Uberaba, Ahú, Atuba, Bacacheri, Barreirinha, Boa Vista, Cabral, Centro Cívico, Santa Cândida, São Lourenço, Tingui e Juvevê.

A normalização do sistema está prevista para o início da manhã de quarta-feira (15/01) e será de forma gradativa. Só ficarão sem água durante este período os clientes que não têm caixa-d’água no imóvel, conforme recomendação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A Sanepar sugere que cada imóvel tenha uma caixa-d’água de pelo menos 500 litros. Assim, é possível ter água por 24 horas, no mínimo, em caso de desabastecimento.

O Serviço de Atendimento ao Cliente Sanepar é feito pelo telefone 0800 200 0115, que funciona 24 horas. Ao ligar, tenha em mãos a conta de água ou o número de sua matrícula. Para esta e outras informações utilize o aplicativo para celular Sanepar Mobile ou acesse sempre o site da Sanepar.

Continue lendo

EM ALTA