Conecte-se conosco

Paraná

Unicentro transforma bebidas apreendidas em álcool para higienização

Alô Paraná

Publicado:

em

O descarte de bebidas alcoólicas apreendidas pela Receita Federal poderia ser um problema ambiental de alto risco, mas foi transformado em solução pela Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro). Desde 2008, a Agência de Inovação Tecnológica da Unicentro (Novatec) utiliza bebidas como vinho, cerveja, vodka e licor como matéria-prima para a produção de álcool etílico (líquido e em gel), usado para higienização e limpeza.

Nove delegacias da Receita Federal do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso enviam ao campus de Guarapuava da Unicentro cerca de 90 toneladas por ano de produtos apreendidos nas operações de fiscalização, que viram até seis toneladas de álcool em gel e cinco toneladas de álcool de limpeza. Sem isso, as bebidas iriam para aterros sanitários, o que pode causar um grande problema ambiental pelo risco de contaminar lençóis freáticos.

Foto: Chuniti Kawamura – Arquivo/ANPr

Todo o material produzido pela Novatec é utilizado no setor de saúde da própria universidade ou doado para órgãos públicos, como unidades de saúde, escolas municipais e estaduais, delegacias e batalhões de polícia, Corpo de Bombeiros, Detran e para a Defesa Civil, que distribui o álcool em gel para a população atingida por eventos como inundações.

A Novatec também produzia etanol com os produtos, que era usado nos carros da Unicentro, mas como a demanda pelo álcool etílico é muito grande, deixou de fabricar o combustível. “O volume de pedidos que recebemos hoje é maior que a capacidade de produção, já que dependemos das bebidas enviadas pelas delegacias da Receita”, conta o diretor de Projeto da Novatec, Maico Cunha.

PRODUÇÃO

Professores e estudantes dos cursos de Química, Administração e Farmácia estão envolvidos no processo de reaproveitamento. As bebidas destiladas e fermentadas recebidas da Receita são separadas em tambores de mil litros e então armazenadas em tanques aéreos.

É então iniciada a destilação, em um processo parecido com os alambiques. Na primeira etapa, o produto é transformado em álcool com 40% a 50% de pureza. Um novo processo de retificação é feito, para o produto chegar a um grau de 86% de pureza.

O material é levado para o laboratório de análises para chegar ao álcool 70, quando o líquido já pode ser utilizado para limpeza. Para a fabricação do gel, outros produtos químicos são adicionados. O material é envasado na própria universidade, em embalagens a granel, de 5 quilos, ou nos pumps de álcool em gel, para então serem distribuídos às instituições parceiras.

EMBALAGENS



Os resíduos das embalagens das bebidas (vidros, latas e papelão) são encaminhados para a Associação Municipal de Catadores de Guarapuava, que fazem a triagem e encaminham o material para reciclagem.

Publicidade
Clique e comente

Paraná

IAP apreende madeira de corte ilegal de vegetação nativa em União da Vitória

Alô Paraná

Publicados

em


Fiscais do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), regional de União da Vitória, identificaram nessa quinta-feira (13), no município de Paulo Frontin, uma área de corte de vegetação nativa ilegal, equivalente a 1,43 hectares de desmate. A ação foi realizada a partir de denúncias que chegaram ao órgão. O desmatamento ilegal é considerado crime ambiental, previstos na Lei Federal nº 9.605/98 e Decreto Federal nº 6.514/08.

O responsável pela área foi notificado para se apresentar ao IAP nesta segunda-feira (17) e trazer documentação pessoal e do imóvel para ser aplicado o auto de infração. Com a forte presença de produção de fumo na região, a suspeita é que a madeira seria utilizada para a queima em estufas do produto. “Quem utiliza estufa de fumo clandestinamente ainda utiliza lenha de mata nativa”, explica o fiscal da regional do IAP de União da Vitória, Renato Vicente Lachovski.

MULTA – O responsável será punido por desmatamento de vegetação nativa, contendo na lista o corte de espécie ameaçada de extinção, como a árvore Sassafras Albidum. A multa será aplicada no valor de R$ 18 mil. A carga de cerca de 250 metros de lenha foi apreendida e será feito o embargo da continuação da atividade ilegal.

Continue lendo

Ponta Grossa

Vândalos incendeiam ponto de reciclagem na 31 de Março, Ponta Grossa

Alô Paraná

Publicados

em


Um dos Pontos de Entrega Voluntária (PEV) de recicláveis foi vandalizado no último domingo (9), em Ponta Grossa (PR). A estrutura instalada na região da 31 de Março, foi incendiada por vândalos e necessitará de reparos.

De acordo com a Prefeitura, todo o material coletado nos PEVs é destinado às associações de recicladores do município, que hoje são fonte de renda para cerca de 100 famílias. 

O secretário de Meio Ambiente, Paulo Barros, lamentou o ocorrido e relatou que nos últimos anos, a pasta tem trabalhado para ampliar o acesso de toda população ao sistema de coleta seletiva. “Os PEVs nos mercados visam facilitar a vida do cidadão que pode aproveitar o momento de realizar as compras para descartar corretamente os recicláveis separados em casa, fazendo a sua parte pelo meio ambiente. São mais de 150 pontos espalhados em diferentes partes da cidade e ficaremos com um a menos até que seja realizado o restauro nessa estrutura vandalizada”, relatou Barros.

Segundo o secretário, o ato de vandalismo prejudica a população que usa da estrutura e também a geração de renda de quem depende desses materiais. “Quem pratica o vandalismo, pratica um ato contra a sociedade. A ação de colocar fogo em um Ponto de Entrega Voluntária indica que algumas pessoas precisam muito mais de que uma aula de educação ambiental, precisam de aulas”, aponta Barros.

Continue lendo

Paraná

Defesa Civil envia mais caminhões com ajuda humanitária a municípios do Paraná

Alô Paraná

Publicados

em


A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil liberou nesta segunda-feira (3) o terceiro caminhão com materiais de ajuda humanitária aos municípios mais atingidos pelas chuvas dos últimos dias, todos já com decretos de situação de emergência. A prefeitura de Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), recebeu 3 mil telhas, além de 50 conjuntos de dormitório (colchão, travesseiro, cobertor e lençol), 50 de higiene (sabonete, paste de dente) e 50 de limpeza (água sanitária, sabão, detergente).

Após triagem, caberá às prefeituras encaminhar a distribuição. “Sempre para os que estão mais vulneráveis”, alerta o tenente Marcos Vidal, da Defesa Civil. Está prevista também a entrega de outras 3 mil telhas para Pinhais.

A mobilização desta segunda-feira completa a ação do sábado (1º), quando Piraquara e Rio Branco do Sul receberam cada um 3 mil telhas e 100 conjuntos dos três modelos. A Defesa Civil disponibilizou ainda 500 lonas para as 39 cidades do Estado que sofreram prejuízos com o temporal de quinta-feira (30). Ao todo, o órgão contribuiu com R$ 400 mil.

A ajuda, explica o tenente Vidal, priorizou os municípios mais atingidos pela chuva, vendaval e granizo que tiveram de decretar situação de emergência por causa dos danos, seguindo determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Ajudamos os municípios em que fica comprovada que a situação de emergência passa a capacidade local de assistência”, afirma o tenente Vidal.

Piraquara foi a cidade mais atingida pelas chuvas. O município teve 1051 residências afetadas, além de 13 escolas e Centros Municipais de Educação Infantil. Já em Rio Branco do Sul outras 893 residências sofreram algum tipo de dano. “O atendimento mostra o compromisso do nosso Governo com a agilidade e eficiência no atendimento à população”, destaca o coronel Ricardo Silva, coordenador Estadual de Defesa Civil.

NOVO BOLETIM – A Defesa Civil informa, em boletim atualizado às 9 horas desta segunda-feira (3), que chegou a 29.516 o número de pessoas atingidas pelo temporal da semana passada. Foram danificadas 5.110 casas. Dos 676 desalojados, 198 permanecem fora de suas residências. Em Guarapuava, uma criança de oito meses morreu devido ao desmoronamento de um muro. Duas pessoas ficaram feridas.

Continue lendo

EM ALTA