Conecte-se conosco

Polícia

Polícia prende suspeito de tentativa de homicídio em um “bailão” em Curitiba

Alô Paraná

Publicado:

em

A Polícia Civil prendeu, na manhã de terça-feira (6), um homem de 35 anos suspeito de tentativa de homicídio. Ele é investigado por tentar matar outro homem de 52 anos, no dia 26 de maio de 2019, dentro de um “bailão” localizado no bairro Cidade Industrial de Curitiba, na Capital

Na ocasião do crime, o suspeito esfaqueou o abdômen da vítima, porque teria visto ele conversando com a ex-esposa no local. Após ser golpeada, a vítima foi encaminhada ao Hospital do Trabalhador, onde permaneceu internado em estado grave por cinco dias.

Conforme apurado durante as investigações, o suspeito permaneceu escondido desde a data do crime até o dia 2 de agosto de 2019, em hotéis de Curitiba. Ele foi localizado quando deixava a casa da mãe. O suspeito vai responder por tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil. Ele continua preso e está à disposição da Justiça.

Polícia

Polícia resgata cinco ouriços da espécie hedgehog em Curitiba

Alô Paraná

Publicados

em


A Polícia Civil resgatou cinco animais da espécie ouriço pigmeu africano, também chamado de hedgehog, no último sábado (7), na Cidade Industrial de Curitiba, no Paraná. Os animais foram anunciados para venda em uma página da internet.

O responsável pelos animais, um jovem de 20 anos, foi autuado pelo crime ambiental de apanhar espécies da fauna, uma vez que não tinha autorização, nem registro ambiental para posse e comercialização de pequenos animais silvestres.

Após assinar termo circunstanciado, o conduzido foi liberado e responderá em liberdade. Os animais foram encaminhado para o Centro de Apoio à Fauna Silvestre da Prefeitura de Curitiba, onde serão tratados. O acusado não apresentava antecedentes criminais e poderá cumprir pena de até um ano de prisão mais pagamento de multa.

Continue lendo

Polícia

Ação da PF no Paraná prende 3 por exploração de pornografia infantil na internet

Alô Paraná

Publicados

em


A Polícia Federal (PF) no Paraná deflagrou nesta quinta-feira, 5, a Operação Olho da Rede para cumprir dez mandados de busca e apreensão contra investigados por exploração infantil na internet. Os agentes vasculham endereços de Curitiba (4), Quatro Barras (1), Morretes (1), Matinhos (1), Apucarana (1) e Rolândia (2).

A PF informou que esta é uma “operação complexa”. Uma primeira etapa foi desencadeada no dia 25 de novembro, quando sete mandados de buscas e um de prisão preventiva foram executados – dos sete mandados, dois foram cumpridos em Curitiba e os outros em São José dos Pinhais (1), Campina Grande do Sul (1), Foz do Iguaçu (2) e Ponta Grossa (1).

A operação foi autorizada pela Justiça Federal em Curitiba, Londrina, Paranaguá e Foz do Iguaçu. O objetivo é “identificar materiais relacionados a posse, compartilhamento e produção de imagens de pornografia infantil com foco no Paraná”.

Durante o cumprimento das medidas nesta quinta-feira, foram realizadas três prisões em flagrante por posse de pornografia infantil, sendo duas em Curitiba e uma em Quatro Barras. Desde o dia 25 de novembro, houve mais dois flagrantes: um em Ponta Grossa e um em Curitiba.

A PF prendeu um outro investigado, de São José dos Pinhais, por força de mandado de prisão preventiva. Este suspeito já havia sido preso em flagrante em duas oportunidades anteriores por delitos dessa natureza.

Penas
A pena para o armazenamento de pornografia infantil é de 2 a 4 anos de reclusão; para o compartilhamento, de 3 a 6 anos de reclusão; e para a produção das imagens, de 4 a 8 anos de reclusão. Para o crime de estupro de vulnerável a, pena é de 8 a 15 anos de reclusão.

De acordo com a PF, “em todos os casos as investigações seguem em andamento, em busca da identificação de outras pessoas envolvidas na rede de crimes, como os abusadores e produtores de imagens, mas principalmente das vítimas a serem resgatadas”.

Continue lendo

Polícia

Professora é morta a facadas ao deixar filho na escola em Ponta Grossa

Alô Paraná

Publicados

em


Uma professora, de 42 anos, foi morta a facadas no início da tarde desta quarta-feira (4), ao deixar o filho na escola, na Avenida Anita Garibaldi, no bairro Órfãs, em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná. Luciane Ávila trabalhava na mesma instituição de ensino onde a criança estuda. O marido é o principal suspeito.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a professora recebeu diversos golpes de faca na região do tórax e nas pernas. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu dentro da ambulância do Siate.

Segundo a Polícia Civil, Luciane e o marido estavam em processo de separação e ele não aceitava o fim do relacionamento. Já havia um boletim de ocorrência contra o suspeito por perturbação de tranquilidade.

O homem fugiu do local em uma motocicleta e até o fechamento desta matéria não havia sido localizado.

Um jovem, de 28 anos, tentou ajudar a professora e acabou sendo ferido por um golpe de faca. Ele foi socorrido e não corre risco.

Continue lendo

EM ALTA