Conecte-se conosco

Emprego

Confira as vagas de emprego do Sine em Ponta Grossa para o dia 31 de maio

Alô Paraná

Publicado:

em

O Sistema Nacional de Empregos do Parana (Sine/PR) oferece oportunidade de empregos para Ponta Grossa (PR). O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência.

Os interessados podem procurar o Sine, localizado n Rua Doutor Penteado de Almeira, 240, no Centro.

Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado).

Veja algumas vagas para hoje:

Ajudante de eletricista
Analista de desenvolvimento de sistemas
Analista de sistemas (informática)
Analista de suporte técnico
Arte-finalista (desenhista técnico de artes gráficas)
Assistente de vendas
Auxiliar administrativo
Auxiliar de cobrança
Auxiliar de linha de produção
Auxiliar de mecânico diesel (exceto de veículos automotores)
Auxiliar mecânico de ar condicionado
Barbeiro
Bibliotecário
Caseiro
Consultor de vendas
Cuidador de idosos
Desenhista de páginas da internet (web designer)
Desenhista projetista de máquinas
Eletricista de instalações
Eletricista de instalações (veículos automotores e máquinas operatrizes, exceto aeronaves e embarcações)
Farmacêutico
Fresador (fresadora universal)
Jardineiro
Laboratorista de solos
Mãe social
Marceneiro
Mecânico de equipamento pesado
Mecânico de manutenção de ar condicionado
Monitorador de sistemas e suporte ao usuário
Motofretista
Motorista entregador
Oficial de serviços gerais na manutenção de edificações
Operador de negócios
Operador de pá carregadeira
Operador de retro-escavadeira
Operador de telemarketing ativo
Programador de computador
Programador de internet
Programador de sistemas de computador
Representante comercial autônomo
Representante técnico de vendas
Servente de limpeza
Servente de obras
Soldador
Sorveteiro
Supervisor de atendimento ao cliente
Técnico mecânico em ar condicionado
Torneiro mecânico
Tratorista agrícola
Vendedor de serviços
Vendedor interno
Vendedor porta a porta
Vendedor pracista

Emprego

Carretas adaptadas levarão qualificação profissional a 47 cidades

Alô Paraná

Publicados

em


A Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho escolheu o bairro Uberaba para ser o primeiro de Curitiba a receber o projeto Carretas do Conhecimento, realizado em parceria com a Volkswagen e o Senai/PR. A partir de julho, o programa percorrerá o Estado com carretas adaptadas e com infraestrutura completa para qualificação profissional. Serão oito veículos, um deles para atender a Capital.

Serão oferecidos à população cursos de panificação, costura industrial, aperfeiçoamento em mecânica industrial, manutenção e instalação de ar-condicionado split, mecânica de automóveis, aperfeiçoamento em eletricidade automotiva, noções de mecânica de motocicleta e instalações elétricas prediais.

Ainda em Curitiba, os bairros de Santa Felicidade e Tatuquara receberão cursos do programa até o final do ano. As carretas passarão também por outros 46 municípios atendidos pelo programa Família Paranaense, com previsão de capacitar mais de 2 mil pessoas apenas em 2019.

De acordo com o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, essa é mais uma oportunidade para quem procura se aperfeiçoar e se qualificar na área em que atua, gerando mais emprego e renda. “O bairro do Uberaba é muito populoso e tem realidades distintas. Em meio a grandes condomínios existem muitas áreas degradadas, com altos índices de criminalidade e de desemprego. Por isso, determinamos que seja o primeiro na Capital a receber o projeto”, destacou.

Serão beneficiados com a Carreta do Conhecimento os municípios de Cornélio Procópio, Bandeirantes, Andirá, Pato Bragado, Santa Terezinha do Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Foz do Iguaçu, Realeza, Ampére, Vitorino, Mariópolis, Chopinzinho, Ibiporã, Perobal, Cruzeiro do Oeste, Sertanópolis, Assaí, Florestópolis, Jaguariaíva, Reserva, Tibagi, Ouro Verde do Oeste, Cafelândia, Campo Mourão, Pontal do Paraná, Lapa, Campina Grande do Sul, Terra Roxa, Sarandi, Astorga, Santa Fé, Jandaia do Sul, Porto Amazonas, Telêmaco Borba, Matelândia, Corbélia, Peabiru, Engenheiro Beltrão, Rio Negro, Morretes, Cidade Gaúcha, Cambé, Colorado, Paiçandu e Cambará.

Continue lendo

Emprego

Confira as vagas de emprego do Sine em Ponta Grossa para o dia 11 de junho

Alô Paraná

Publicados

em



O Sistema Nacional de Empregos do Parana (Sine/PR) oferece oportunidade de empregos para Ponta Grossa (PR). O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência.

Os interessados podem procurar o Sine, localizado n Rua Doutor Penteado de Almeira, 240, no Centro.

Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado).

Veja algumas vagas para hoje:

Açougueiro
Ajudante de confeiteiro
Analista de desenvolvimento de sistemas
Analista de sistemas (informática)
Arte-finalista (desenhista técnico de artes gráficas)
Auxiliar de cozinha
Auxiliar de linha de produção (EXCLUSIVA PCD)
Auxiliar técnico de montagem
Carreteiro (motorista de caminhão-carreta)
Caseiro
Confeiteiro
Consultor de vendas
Cozinheiro de restaurante
Desenhista de páginas da internet (web designer)
Desenhista projetista de máquinas
Empregado doméstico diarista
Farmacêutico
Frentista
Funileiro industrial
Instalador de antenas de televisão
Laboratorista de solos
Mecânico de motor a diesel
Médico do trabalho
Motofretista
Motorista entregador
Oficial de manutenção predial
Operador de empilhadeira
Operador de prensa
Operador de processo de produção
Pintor de automóveis
Pizzaiolo
Polidor de automóveis
Programador de internet
Representante comercial autônomo
Servente de limpeza (EXCLUSIVA PCD)
Técnico em eletromecânica
Torneiro mecânico
Vendedor interno
Vendedor porta a porta
Vendedor pracista

Continue lendo

Emprego

STF confirma proibição de trabalho insalubre de gestantes e lactantes

Alô Paraná

Publicados

em


O Supremo Tribunal Federal (STF) considerou hoje (29) inconstitucional o trecho da reforma trabalhista que abriu a possibilidade de gestantes e lactantes trabalharem em atividades insalubres. Por 10 votos 1, a Corte confirmou liminar proferida em maio pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do caso, suspendendo a norma.

Com a decisão, segundo Moraes, fica valendo a regra anterior. Com o texto antigo da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), antes da reforma aprovada em 2017, a gestante deverá ser afastada de atividades e locais insalubres, devendo ser realocada em outro tipo de serviço. Não sendo possível, a empregada será afastada e terá direito a receber salário-maternidade.

Em seu voto, Moraes confirmou sua liminar e afirmou que a alteração na CLT permitiu que gestantes e lactantes continuem trabalhando em atividades insalubres e ainda previu que o afastamento só pode ocorrer após a apresentação de atestado médico.

Segundo Moraes, nesse ponto, a reforma trabalhista é inconstitucional por não proteger mulheres grávidas e lactantes. “Quem de nós gostaria que nossas filhas, irmãs, netas, grávidas ou lactantes, continuassem a trabalhar em ambientes insalubres?, questionou.

Pelo texto antigo da CLT, o Artigo 394-A definiu que a empregada gestante ou lactante será afastada de qualquer tipo de serviço e locais insalubres. Com a mudança, o mesmo dispositivo vetou o trabalho nas atividades perigosas, mediante apresentação de um atestado médico para que o afastamento seja realizado.

O voto de Moraes foi acompanhado pelos ministro Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e o presidente, Dias Toffoli. Marco Aurélio foi o único a divergir.

O caso chegou ao STF por meio de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) ajuizada pela Confederação Nacional de Trabalhadores Metalúrgicos. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que também opinou pela concessão da liminar. Para Dodge, a exigência de atestado médico para o afastamento da gestante, conforme previsto na reforma trabalhista, transformava “em regra a exposição ao risco”.

Continue lendo

EM ALTA