Conecte-se conosco

Futebol

Brasil e Bolívia abrem hoje a Copa América

Alô Paraná

Publicado:

em

A seleção brasileira, anfitriã da edição da Copa América 2019, abre hoje (14) o torneio enfrentando a seleção da Bolívia, às 21h30, no Estádio do Morumbi, em São Paulo. O Brasil já conquistou oito vezes o torneio, quatro delas quando sediou a competição. A última vez que ganhou a competição foi em 2007.

A Bolívia ganhou o torneio em uma ocasião, em 1963, quando disputou a competição como país organizador.

Mais de 67 mil ingressos já foram vendidos para a partida de abertura do torneio. 

O árbitro do jogo será o argentino Nestor Pistana. Ele será auxiliado por Hernán Maldana e Juan P. Belatti, também argentinos. O quarto árbitro será o equatoriano Roddy Zambrano.

“O Brasil vai ser um adversário difícil, com o apoio do seu povo, e é candidato a ganhar a Copa, mas nos preparamos bem, corrigimos erros, jogamos amistosos e estamos confiantes de que chegaremos da melhor maneira”, disse o goleiro Carlos Lampe, da Bolívia.

O jogador Casemiro, da seleção brasileira, considera que será uma partida complicada contra a Bolívia. “A seleção de Bolívia está muito bem preparada, principalmente na parte defensiva”.

Copa América

A Copa América 2019 será disputada pelos dez países integrantes da Conmebol e por dois países convidados, Japão e Catar. Os jogos serão realizados em cinco cidades: Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Na primeira fase, os 12 países foram divididos em três grupos.

O Brasil está no Grupo A e pegará as seleções da Bolívia, Venezuela e Peru. O Grupo B é formado pelas equipes da Argentina, da Colômbia, do Paraguai e do Catar. Fazem parte do Grupo C o Uruguai, o Equador, o Chile e o Japão.

Classificam-se para as quartas de final os dois primeiros colocados de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados. A partir dessa fase, os jogos serão eliminatórios.
O atual campeão da competição é o Chile.

Cerimônia de abertura

Pouco antes do início da partida de hoje, às 21h10, haverá a cerimônia de abertura. Ela terá 10 minutos de duração, vai contar a história do sonho de 12 crianças, cada uma delas representando um dos países que disputarão a competição. Segundo a organização, essa história será dividida em duas partes: a segunda parte será contada no encerramento.

Durante a cerimônia será cantada a música-tema da Copa América deste ano, Vibra Continente, que será apresentada por Léo Santana e pela colombiana Karol G.

O presidente Jair Bolsonaro deverá acompanhar o primeiro jogo da seleção.

Futebol

Athletico-PR confirma doping de Thiago Heleno e Camacho, mas exime ambos de culpa

Alô Paraná

Publicados

em


Mario Celso Petraglia

O presidente do Conselho Deliberativo do Athletico-PR, Mario Celso Petraglia, confirmou em coletiva realizada na Arena da Baixada, nesta segunda-feira, que os jogadores Thiago Heleno e Camacho ingeriram uma substância proibida e foram reprovados em exames antidoping realizados após partidas desta edição da Copa Libertadores.

O dirigente, porém, fez questão de eximir os atletas de culpa neste caso e ressaltou que ambos foram “absolutamente vítimas” ao consumirem a substância chamada de higenamine, detectada no controle antidoping realizado pelo defensor e pelo volante. E que estava presente em suplementos que contribuem para perda de peso. 

Estes suplementos foram indicados por um profissional do próprio Athletico-PR, que, segundo Petraglia, garantiu que a utilização dos mesmos não oferecia nenhum risco aos dois jogadores. “Fomos surpreendidos por uma falha interna de profissionais do clube, nós abrimos uma sindicância, um processo administrativo interno, para buscarmos todas as informações do ocorrido”, revelou.

Depois, o dirigente disse que este mesmo suplemento que continha a substância proibida pelo controle de dopagem da Conmebol foi colocado à disposição de vários atletas, mas ele reconheceu que, “felizmente, só dois (Thiago Heleno e Camacho) tomaram”. “Os demais nos garantiram que não tomaram. Ficamos, de uma forma, tranquilos por isso”, disse.

E Petraglia fez questão de ressaltar que o Athletico-PR vai se responsabilizar por este caso de doping envolvendo os dois jogadores. “Nosso objetivo básico, fundamental e determinante, é assumirmos a culpa como instituição e a responsabilidade da ocorrência. E buscamos de todas as formas a isenção dos atletas. Eles foram absolutamente vítimas. Lamentavelmente, a legislação nos obriga e penaliza em função de eles terem ingerido um produto que está listado como impeditivo, que não deveriam ter tomado”, afirmou, se referindo ao fato de que os atletas inevitavelmente sofrerão punições que ainda serão aplicadas pela Conmebol.

O clube também não informou o nome do profissional ou dos profissionais que acabaram cometendo erros neste processo que levou ao doping de Thiago Heleno e Camacho. A Conmebol ainda não se pronunciou oficialmente sobre este caso, mas a comissão antidoping da entidade notificou na semana passada sobre o caso do zagueiro. O clube, porém, ainda não foi avisado pelo órgão sul-americano sobre a situação de Camacho, embora já saiba que o atleta foi reprovado no antidoping.

Ainda não há data marcada para o julgamento do caso e o Athletico ainda espera pela resultado da contraprova dos exames. E Petraglia assegurou que não existe o risco de o time paranaense ser punido na Libertadores por causa deste episódio. “Nenhuma possibilidade, é zero possibilidade. Felizmente para o clube, que é o responsável, e mais pela torcida, que não poderia pagar esse preço, de o clube ser penalizado, por falhas internas, mas essa possibilidade está afastada”, garantiu.

O zagueiro Thiago Heleno foi flagrado no exame antidoping após a partida contra o Tolima, no dia 9 de abril, pela quarta rodada do Grupo G, e o volante Camacho depois do jogo contra o Jorge Wilstermann, no dia 24 de abril, pela quinta rodada. O defensor já foi suspenso preventivamente pela entidade e Camacho ainda aguarda contraprova.

Thiago Heleno já desfalcou o time nos últimos dois jogos da fase de grupos da Libertadores, diante do Wilstermann, na Bolívia, e Boca Juniors, na Bombonera, após a notificação. 

E Petraglia revelou nesta segunda-feira que o suplemento consumido pelos dois atletas foi um produto elaborado e manipulado em uma farmácia. “Eles (jogadores do Athletico) sabem muito bem que não se toma este tipo de medicamento. Felizmente, vários não aceitaram a indicação e não tomaram”, disse o dirigente.

Substância proibida detectada nos exames de Thiago Heleno e Camacho, a higenamine é um termogênico que serve para acelerar o metabolismo. E o fato de o clube ter provocado de forma acidental estes casos de doping ao deixar que os atletas consumissem um suplemento com esta substância foi qualificado nesta segunda-feira por Petraglia como “um dos piores momentos vividos nestas duas décadas” em que ele está no clube. 

“A preocupação de não expormos os nossos atletas faz parte da nossa cultura. Já tivemos alguns casos na nossa história, mas nenhum como este”, enfatizou o dirigente, que também prometeu: “O clube dará todas as condições possíveis, imagináveis e disponíveis. Não existe reparação. É uma morte, entre aspas. Como se conserta isso? Vamos atenuar, deixarmos com menos dor. É da vida. Não tem preço. Faremos tudo, mas será pouco”, reconheceu.

Assista a coletiva com Mario Celso Petraglia na integra:

Continue lendo

Futebol

Athletico não dá chances e goleia o Vasco por 4 a 1 em Curitiba

Alô Paraná

Publicados

em


Foto: Athletico do Paraná

O Athletico-PR não deu nenhuma chance ao Vasco na estreia do Campeonato Brasileiro. Dominando completamente a partida, o time paranaense goleou por 4 a 1, na Arena da Baixada, em Curitiba, neste domingo. Bruno Guimarães, Marco Rúben, Werley (contra) e Nikão marcaram os gols rubro-negros, enquanto que Bruno César descontou no final.

O resultado colocou o Athletico-PR no bloco de cima da tabela de classificação do Brasileirão pelo saldo de gols. A partida contra o Vasco marcava o sexto jogo no ano do time paranaense considerado titular. Mesmo assim, a equipe não sentiu o desentrosamento e abriu o placar logo aos dois minutos. Marco Ruben recebeu dentro da área, mas furou no momento do chute. Bruno Guimarães apareceu para completar para o gol de Alexander, de apenas 19 anos, que fazia a sua estreia.

O Vasco sentiu o gol e demorou a se reencontrar na partida. Do meio para frente, os cariocas tiveram dificuldades para trocar passes e conseguiram assustar apenas aos 28 minutos em chute de fora da área de Marrony, que passou longe da meta de Santos.

No final do primeiro tempo, o Vasco mudou o posicionamento, abriu mão do esquema com três zagueiros com uma alteração tática e conseguiu chegar mais no campo de ataque. Mais acionado, Maxi López colocou Marrony em velocidade de frente para o gol, mas Santos caiu bem para evitar o chute.

Em seguida, aos 42 minutos, Ricardo Graça cabeceou e obrigou boa defesa de Santos. A bola ia sobrando para o centroavante argentino, mas a defesa atleticana apareceu para cortar em cima da linha, impedindo a finalização.

O Vasco, no entanto, seguia dando espaços em contra-ataques. Nikão e Jonathan haviam tentado, mas Marco Ruben, aos 43 minutos, aumentou a vantagem do time paranaense. O camisa 9 aproveitou rebote de cabeçada de Renan Lodi que acertou a trave e completou para o gol.

Veio o segundo tempo e o Athletico-PR seguiu dominando e aproveitando os espaços deixados pelo time carioca. Aos seis minutos, o árbitro chegou a marcar pênalti em Lodi, mas depois de analisar no vídeo (VAR) voltou atrás da marcação. Mas os paranaenses não desistiram. Em menos de um minuto, Marco Ruben teve duas grandes oportunidades. Primeiro, ele cabeceou para grande defesa de Alexander e depois deu nova testada, desta vez para fora, após cruzamento de trivela de Nikão.

Aos 20 minutos, o Athletico-PR ampliou. Depois de cobrança de falta da direita, Rony desviou de cabeça e Werley, no meio do caminho, colocou contra o próprio gol. O Vasco ainda tentou reagir e obrigou Santos a fazer grande defesa em cabeçada de Marrony, mas os paranaenses seguiram dominantes e em ritmo acelerado. Em contra-ataque, Tomás Andrade e Marcelo Cirino apareceram para finalizar, mas erraram a meta.

Na terceira chance, Nikão transformou o placar em goleada. Rony ganhou na velocidade de Werley e cruzou na medida para o meia-atacante escorar para o fundo das redes aos 40 minutos. O Vasco ainda conseguiu descontar no final com Bruno César, aos 43 Depois de bola ajeitada de Marrony, o meia soltou o pé e venceu Santos.

Nesta quarta-feira, o Vasco recebe o Atlético-MG, às 21h30, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro. No mesmo horário, o Athletico-PR visita o Fortaleza, na Arena Castelão, em Fortaleza

FICHA TÉCNICA

ATHLETICO-PR 4 x 1 VASCO

ATHLETICO-PR – Santos; Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Camacho (Wellington), Bruno Guimarães (Márcio Azevedo) e Tomás Andrade; Nikão, Rony e Marco Ruben (Marcelo Cirino). Técnico: Tiago Nunes.

VASCO – Alexander; Miranda (Bruno César), Werley e Ricardo Graça; Raúl Caceres, Raul, Lucas Mineiro e Danilo Barcelos; Yago Pikachu (Yan Sasse), Maxi López (Ribamar) e Marrony. Técnico: Marcos Valadares (interino).

GOLS – Bruno Guimarães, aos 2, e Marco Rúben, aos 43 minutos do primeiro tempo; Werley (contra), aos 20, Nikão, aos 40, e Bruno César, aos 43 minutos do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO – Raul (Vasco).

ÁRBITRO – Luiz Flávio de Oliveira (Fifa/SP).

RENDA – R$ 237.105,00.

PÚBLICO – 12.939 torcedores.

LOCAL – Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

Continue lendo

Futebol

Londrina vence, mas Bahia se classifica às oitavas da Copa do Brasil

Alô Paraná

Publicados

em


O Londrina ganhou, mas não levou. Mesmo com a derrota por 2 a 1, nesta quinta-feira, no Estádio do Café, o Bahia garantiu a classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil.

Na reestreia de Alemão – o técnico Roberto Fonseca deixou o cargo após a goleada por 4 a 0, no jogo de ida, em Salvador -, o Londrina tinha uma missão bastante complicada. A vitória pelo menos fará o time entrar mais confiante para a disputa da Série B. Já o Bahia embolsou mais R$ 2,5 milhões de premiação, sendo que o seu adversário nas oitavas de final será conhecido através de um sorteio a ser realizado pela CBF. 

Depois de perder por 4 a 0 em Salvador, o Londrina foi com tudo para cima e abriu o placar aos 42 segundos. Anderson Leite bateu cruzado e Anderson Oliveira só completou. 

A partir daí, o jogo se tornou bastante aberto, com os dois times criando oportunidades. Aos 21, Germano recuou errado e a bola caiu nos pés de Fernandão, que deixou tudo igual ao bater na saída de Matheus Albino. 

O Londrina voltou a ficar na frente do placar aos 35 com Dagoberto em cobrança de pênalti sofrido por ele mesmo. Na comemoração, o atacante, que passou pelo Vitória, provocou a torcida do Bahia presente no Estádio do Café dizendo que ele tinha cinco títulos brasileiros.

Se o primeiro tempo foi bastante movimentado, o mesmo não aconteceu na etapa final. O Londrina até criou algumas boas oportunidades – a melhor delas em falta cobrada por Dagoberto -, mas diminuiu o ritmo com o passar do tempo.

Com a vantagem conquistada no jogo de ida, o Bahia só foi assustar Matheus Albino nos minutos finais, quando o Londrina passou a dar espaços. Artur finalizou rasteiro e viu a bola passar rente à trave. 

Agora, os times se preparam para as estreias no Campeonato Brasileiro. Na elite, o Bahia recebe o Corinthians no domingo, na Fonte Nova, em Salvador. No mesmo dia, mas pela Série B, o Londrina vai até Maceió encarar o CRB.

Continue lendo

EM ALTA